by Max Barry

Latest Forum Topics

Advertisement

12

DispatchMetaGameplay

by The Technocracy of Imperio de Jandira. . 435 reads.

Guia para desenvolvimento de bons roleplays na região

Nossa região é focada, principalmente, no roleplay das nações, que é você interpretar o seu país como um personagem. Isso significa fazer postagens no RMB sobre o dia-a-dia de seu país, contando notícias, fatos, acontecimentos, focar um pouco em um personagem mesmo, etc.

E, embora isso possa parecer besta de início, um roleplay bem construído é excitante, pois chega a fazer com que você se sente na ponta da cadeira enquanto lê o que está escrito. Afinal, estamos contando histórias que acontecem em nossos países.

Abaixo, trago a vocês um guia para o roleplay, carregado de dicas sobre o que fazer e o que não fazer.


O que fazer

  • Respeite as regras da região. A base para um bom roleplay — e um bom convívio na região — é você respeitar as regras que a regem. Além do mais, os próprios roleplays podem conter regras definidas por quem os comanda. No caso, o jogador responsável por criá-lo. Portanto, evite problemas: procure saber das regras e procure segui-las.

  • Peça um local no mapa. Envie um telegrama (TG) ao cartógrafo Imperio de Jandira com o pedido de localização no mapa. Você pode ocupar território de um ou mais NPCs e/ou ocupar províncias em branco. E, estando no mapa, fica muito mais fácil fazer roleplay.

  • Veja seus atributos/stats. Na nossa região, alguns dos atributos (ou stats) são plenamente importantes para o desenvolvimento do país. Por exemplo: Scientific Advancement é considerado, assim como as indústrias e os atributos que envolvem corrupção. Procure utilizar a maior parte dos atributos de seu país para desenvolver os roleplays.

  • Pesquise. Para evitar falar besteiras, faça pesquisas simples sobre o que você está fazendo o roleplay. Evite uma arma de meteoros, por exemplo. Claro, você não precisa ser um especialista em tudo, mas também não vá fazer algo que não sabe.

  • Procure saber o que está acontecendo no resto do mundo. No RMB, existem postagens de várias outras nações. E em todas elas há algo acontecendo. Então, procure manter-se inteirado nos acontecimentos globais.

  • Procure saber sobre o background de outra nação. Há uma série de países em nossa região, e cada um deles possui diferentes tipos de background. Por exemplo, temos países comunistas, países fascistas, monarquias, países com criaturas híbridas... procure saber o que os outros países estão fazendo e, se sua ideia bate com algum deles, faça o próximo item deste guia...

  • Comunique-se! Se você tem uma ideia compatível com a de outro país, ou quer seguir a ideia de outro país, comunique-se com ele. Existem diversas formas de comunicação, como os TGs, o grupo de Whatsapp regional — peça a Republic Popular of Lorien ou Kingdom of Irhk para ser adicionado — e o grupo do LinkFacebook. Entretanto, pedimos que evitem os posts OOC (out-of-character, fora do personagem) no RMB, pois utilizamos ele para fazer o roleplay.

  • Interaja! Faça com que seus personagens e seu país tenham interações com os outros países da região. Use a comunicação para tal, combinando ou convidando países para roleplays, criando roleplays abertas, entre outras coisas.

  • Desenvolva bem seus personagens. Um personagem bem desenvolvido torna-se memorável, inesquecível, inigualável. Claro, você não precisa fazer um personagem ultra-poderoso-perfeito-incrível-invencível (falarei sobre isso mais tarde), mas até aquele personagem repleto de defeitos é perfeito. Afinal, ele tem algo que lhe dá uma realidade maior: ele tem humanidade (mesmo que não seja um humano).

  • Desenvolva bem seu background. Muitos países da região utilizam os Factbooks para deixar as informações de background de seus países. Sugiro que todos façam o mesmo, afinal, um país com informações pré-determinadas é melhor do que um país cujo qual nós não sabemos absolutamente nada.

  • Crie conflitos. Afinal, há de convir que um conflito é MUITO mais interessante do que os personagens sempre viverem felizes e alegres. Se você não quer dar o primeiro tiro, peça a outro para fazê-lo. Ou então feche os olhos e deixe tudo acontecer...

  • Seja ousado! Sua trama está chata? Ninguém está prestando atenção? Faça alterações nela bruscamente! Adicione plot twists, altere o clímax, adicione novos elementos. Não tenha medo de ser ousado em suas tramas.

  • Perder pode ser a maior vitória. Afinal, o que é o roleplay se não um confronto? Se nós quisermos brincar de "Quem tem o maior ________?", vamos jogar Super Trunfo, e não fazer roleplay. Pense o seguinte: você perdeu, mas o roleplay foi bom? A trama foi bem jogada? Os personagens foram bem desenvolvidos? Então, dane-se a derrota! Todos venceram no fim. Claro, exceto o personagem que foi decapitado em praça pública...

  • Toda ação gera uma reação. Você pode fazer roleplay sozinho, mas lembre-se que, na região, você está cercado de países ao seu redor. E eles podem querer reagir a algo que acontece em seu país. E isso ainda geraria um novo roleplay!

  • Escreva em bom português. Não, você não é obrigado a ser um Prof. Pasquale, mas também não deve escrever tudo errado. Lembre-se: outras pessoas vão ler suas postagens. Portanto, não escreva em códigos ou em alguma língua parecida com o português. Afinal... um ou outro erro é plenamente compreensível. Um texto totalmente mal redigido é inconcebível.

  • Respeito acima de tudo. Respeite os outros jogadores que estão fazendo roleplay com ou sem você. Afinal, todos estamos aqui com o mesmo objetivo: nos divertir jogando um RPG de países. Portanto, não seja babaca. Além do mais... estamos num jogo, isso aqui não é a vida real.

  • Não tenha medo. Peça ajuda se precisar! A comunidade NSBR está aberta para ajudar você em qualquer coisa que precisar. Portanto, não tenha medo de falar com algum dos jogadores. Se ele não puder te ajudar, procure outro, poste no RMB (uma postagem pedindo ajuda é válida. Um flood não), chame no whatsapp, enfim, não se acanhe. Precisando, é só chamar!

  • Divirta-se! Jogamos isso aqui para acabar com o estresse do dia-a-dia, e não para ficarmos mais estressados. Portanto, divirta-se!


O que NÃO fazer

  • Não faça personagens sensacionais. "Fulano da Silva é o governante de Fulanópolis. Ele é o melhor no que faz. Fala 26 línguas, tem especialidade em 15 artes marciais diferentes, é perito em 25 tipos de armas, e o melhor: só tem 15 anos". Sério, não faça isso. Não faça personagens sensacionais. Antes de definir a personalidade e os conhecimentos do seu personagem, pense: isso é possível?

  • Não faça godmodding. Godmodding é o ato de fazer coisas que são impossíveis para seu personagem ou país. Volto a citar o exemplo do canhão de meteoros que instantaneamente destrói todos os inimigos num piscar de olhos. O godmodding, além de tudo, é proibido, e quem for pego fazendo-o será advertido. A reincidência causará a proibição do jogador de participar de roleplays.

  • Não faça metagaming. Metagaming é quando seu personagem ou país possui conhecimentos que, bom, ele não deveria ter. Isso entra, por exemplo, quando um país identifica um plano maligno de um grupo terrorista de outro para destruí-lo... sem que esse plano tenha sido divulgado ao público ou o país tenha feito uma missão de espionagem. Lembre-se que nem todas as informações colocadas no RMB são de conhecimento público. Saiba identificar as públicas das "privadas".

  • Não leve as coisas para o lado pessoal. Repetindo: estamos em um jogo. Não é por que os países são inimigos que os jogadores devem ser inimigos também. E isso leva a...

  • Não deixe o pessoal interferir no jogo. Não é por que você brigou com jogador X que deve transformar, automaticamente, seu país em inimigo. Saiba separar o pessoal do jogo.

  • Sem permissão, não faça nada com os personagens dos outros. Se você não tiver permissão para tal, evite jogar com o personagem dos outros. Isso inclui matá-los. Claro que, obviamente, numa conversa dentro do roleplay, não há problema em usar o personagem do outro para acenar com a cabeça, fazer perguntas curtas, e tudo mais. Só que você sempre deve dar a chance do outro reagir. Não é "eu matei", mas sim "vou tentar matar".

  • Não mantenha um enredo. Muitos podem discordar, mas entenderão o que eu quero dizer: manter um roteiro em um roleplay não é bom por que você limita as opções de quem estiver fazendo o roleplay contigo. Isso passa a sensação de que os personagens estão engessados. Portanto, você deve estabelecer um ponto de partida, e até pode estabelecer um ponto final, mas NUNCA estabeleça o caminho. Deixe o roleplay livre para se desenvolver. Afinal, o bom roleplay é aquele imprevisível.

  • Não faça retcons. O retcon, basicamente, é apagar sua ação anterior por algum motivo. Você mandou a quantidade errada de regimentos pra guerra? Dane-se. Não fique choramingando para refazer suas ações. Ao contrário: aprenda com os erros. Quer evitar situações do tipo? Em vez de apagar postagens, apenas analise melhor a situação.

  • Os mestres não são escravos. Portanto, o mestre não vai fazer o que você quer sempre, tampouco servir a todos os seus interesses. A função do mestre é ser uma espécie de mediador neutro, um avaliador das ações irresponsáveis dos jogadores. Ou seja, se o mestre fez algo em ON que você não gostou, pergunte a ele o motivo dele ter feito aquilo. Afinal, se o jogador tem o cargo de mestre, é por algum motivo, não?

The Technocracy of Imperio de Jandira

Edited:

RawReport